Artista do Mês Música

A era Bang acabou… Mas foi mesmo uma era?

Com o lançamento do single Sim ou Não, Anitta anuncia, indiretamente, o fim da era do álbum Bang, seu terceiro disco de estúdio e o de maior sucesso de sua carreira até então. Mas o que define uma era e o que aconteceu com o ”restante” dela? Não gosto, e nem sou, de fazer comparações, mas vamos usar outros artistas para analisar o que aconteceu com o disco em si. Anitta lançou em julho de 2015 o carro chefe do disco. A música Deixa Ele Sofrer foi um estouro na internet e nas rádios e serviu como precedente ao single que levava o nome do cd e o grande hit do álbum. Bang foi um baque instantâneo na música nacional. Milhões de acessos em pouquíssimo tempo, música e disco mais baixados no iTunes Brasil e um clipe digno do porte das maiores divas pop internacionais. 5 dias após o lançamento da música, o cd estava completamente disponível para venda e streaming, e os fãs ficaram felizes com o fato do disco ser tão bom quanto os singles que deram o pontapé no projeto. Músicas dançantes enlaçadas com batidas sensuais mais pop do que nunca deram á Anitta uma nova visão do trabalho que ela já havia consolidado. O disco viajava do funk ao pop, do samba ao reggae, do romântico ao swingado, sem deixar nenhum fã de música dançante desapontado. Anitta deu a nós, fãs, tudo que nós queríamos… Mas foi pra tirar da gente logo em seguida. Com o anúncio do terceiro single, Essa Mina é Louca, Anitta continuou o tema colorido em seus clipes, nos mostrando sua visão diferenciada do que estávamos acostumados a ver. Anunciou então, finalmente, o que todo fã aguarda: a estréia da sua turnê…

Untitled 1

E foi aí que o ”Bang” virou ”Blá Blá Blá”… Eu não sei quanto a vocês, mas na minha opinião, quando um artista se dispõe a produzir um show novo, uma turnê (como foi anunciado), isso é levado como um grande projeto. É aqui que entra a comparação que eu havia mencionado antes. Vamos usar (para não ficarem de mimimi e dizendo que sempre comparam Anitta com artistas internacionais) a nossa rainha brasileira: Ivete Sangalo. Ivete sempre que lança um novo disco, sai em turnê com o projeto novo. Um palco novo, figurinos novos, uma estrutura diferente, coreografias novas, e PRINCIPALMENTE, músicas novas. Tanto faz se quiserem usar outros exemplos. Beyoncé, Rihanna, Britney, Sandy, Joelma, Lana Del Rey, Madonna, Ana Carolina, Maria Gadu, Claudia Leitte… Quem seja… É comum de todo artista apresentar o novo trabalho no novo show. Mas o que aconteceu com o ”novo trabalho” de Anitta? Quando o show estreou no dia 07 de abril desse ano, ao início do espetáculo todos os fãs estavam felizes com o que lhes era entregue: Um palco novo, figurinos novos, uma introdução linda e um break remixado no meio da primeira música do show… Mas e de resto? Onde estava a novidade? Anitta mudou a introdução do show, adicionou interludes entre as músicas, acrescentou breaks nas versões novas de músicas velhas, apresentou os singles do cd, mas… Todas as músicas novas que estavam no show já haviam sido apresentadas antes. A única ”novidade” que o show trouxe no quesito repertório foi a música ”Pode Chegar”, com participação do Nego do Borel que, ainda assim, foi reduzida e sem nenhuma coreografia. Anitta, como a maior artista do pop nacional, deve aos fãs o que eles querem: música para dançar. Mas… cadê a dança? Se as letras do cd não são dignas de prêmios de ”melhor letra”, se a intenção do disco é ”fazer o povo dançar”… Onde está a dança? Músicas que criaram grande expectativa de mega coreografias no público, como Show Completo, Atenção, Parei, Pode Chegar, Deixa a Onda Te Levar, entre outras, foram totalmente descartadas do show. O que nos foi apresentado na ocasião foi o mesmo show que já víamos na estrada, com ordem de músicas diferentes, algumas introduções para músicas antigas e um cenário novo que, diga-se de passagem, foi usado apenas uma vez. Pra onde foi esse show? Isso é uma turnê? Pq só uma cidade viu essa estrutura? Sabemos que nem todo local tem estrutura para comportar o show que foi apresentado no Barra Music em abril, mas se o palco, as luzes, a banda e o ballet não podem ser levados para todo canto, que pelo menos o repertório seja… Mas onde ficou esse repertório? Nos dias anteriores ao show Anitta estava viajando, comemorando seu aniversário, e registrado na internet, houve apenas um dia em que ela ensaiou com seus bailarinos. O que foi isso? Falta de tempo sabemos que não foi, pois a mesma estava de férias nos EUA na semana anterior. O que aconteceu para que um cd tão bom, o mais bem sucedido de sua carreira, tivesse sido totalmente descartado da turnê que leva o próprio nome? Será que Anitta está guardando essas ótimas músicas para um possível novo dvd? Ou será que a ideia de ”novo show” que ela tem é só mudar o que já estava sendo feito? Sou MUITO fã do trabalho da Anitta, então me sinto no direito de expressar meu desagrado com o que vem sendo apresentado na estrada. Compro cd, vou em show, assisto clipe, faço parte da grande massa que dá a ela o nome que ela tem. Então gostaria de saber quais os planos para essas músicas. Serão usadas futuramente? Estão sendo guardadas para que na sua quinta ou sexta turnê sejam adicionadas, como fazem as grandes divas com suas releituras de antigas músicas? Ou ficaram de canto, no esquecimento, no meio da frase ”estou de férias e não tenho tempo pra aprender várias coreografias novas”? Saber, com certeza, só saberemos ao ouvir o pronunciamento da própria. Mas até lá, a era Bang só terá sido uma ”era”, quando todo, ou pelo menos boa parte, do seu conteúdo for melhor aproveitado.

Sobre o autor

Guillherme Camargo

Paulista, 28 anos, ariano, editor do PopPride, coreógrafo, dançarino e formado em moda.

  • Ricki Oliveira

    Estou toda cagada com essa materia maravilhosa que o MEU Coreografo/Figurinista/editor/amigo (uffa)… Fez! CONCORDO PLENANENTE COM TUDO. Falto as coreo, pras gay frita togheta!

Top 10 Itunes